Diário de bordo de São Francisco do Sul e Curitiba - Primeiro dia

08 setembro 2011


Não sei se também é padrão nas famílias de vocês, mas viagem de carro, aqui em casa, precisa começar logo ao amanhecer. Dessa vez não foi bem assim: eu já estava conformada que meu dia seria passado na base do Twitter e do MSN quando veio a proposta. Eu nem tinha almoçado ainda, mas não era tão cedo assim. O resultado é que comi qualquer coisa e lá fomos nós.

O caminho até São Francisco foi percorrido durante uma tarde lá não muito bonita. Mas nada que tire a beleza das paisagens, especialmente para quem não conhece muito do sul do país. Como vivo por aqui desde sempre, não é bem o meu caso, então nem dei muita bola; tomei vergonha na cara e finalmente comecei a ler o primeiro volume das Crônicas de Gelo e Fogo.

Só parei quando saímos da BR-101 e tomamos a estrada que dá acesso à São Francisco. Assim como Florianópolis, uma boa porção do município fica dentro de uma ilha, então essa parte do trajeto é especialmente bonita. A diferença é que lá não tem uma ponte que você atravessa e pronto, chegou. Você transita por uma rodovia duplamente ladeada por água, o que é infinitamente mais legal!

Pouquíssimo além da placa de boas vindas da cidade já se topa com o centro histórico de São Francisco. Chegamos lá bem perdidos e não foi nada difícil de encontrar. Como as ruas são estreitas e o caminho não é tão longo, vale a pena descer do carro e dar aquela caminhada. Já estava anoitecendo quando chegamos, então definimos que voltaríamos ali no dia seguinte.

Rumamos então para a Tai Pan, pousada onde iríamos nos instalar. Foi minha mãe quem acabou encontrando e reservando a dita-cuja, que fica praticamente do outro lado da cidade – no caso, no bairro de Ubatuba. É nesse região da cidade, aliás, que ficam algumas das principais praias. Como não era alta temporada, as bandas de lá estavam bem vazias e foi uma alegria encontrar a bendita depois de tanta procura.

Tai Pan se ergue praticamente como um oásis no meio de uma vizinhança desértica e é um dos melhores lugares em que já me hospedei. A dona da pousada foi muito atenciosa e o preço do quarto por cabeça ficou bem próximo aos dos hostels da vida, mas suponho que o fator baixa temporada tenha contribuído bastante na minha boa impressão. Aquilo lá tem jeito de que vira uma loucura no verão.

O primeiro dia de viagem foi encerrado com uma ida à pizzaria mais próxima do hotel. A pizza de lá é tão absurdamente ruim que eu nem consigo lembrar o nome do lugar. Mesmo se conseguisse, não diria. Mas fica aí a dica: se vocês estiverem em São Francisco do Sul e ocorrer de se hospedarem em Ubatuba, evitem a pizzaria que fica logo depois da ponte, ao lado da pracinha. Sério. Fujam de lá.

6 comentários

  1. Olá boa tarde nus seu blog ta lindão parabéns!
    Será que temm como vooc dar uma passadinha lá no meu?
    Participa lá pois eu estou participando aqui ta beijos

    ResponderExcluir
  2. Curti a foto, mas essa Ubatuba podia ser a praia em SP pra gente poder se ver, hein? :~

    ResponderExcluir
  3. Ai, que delícia de passeio! Queria que a minha família fizesse viagens assim de última hora!
    Na verdade, não viajo com a família faz uns bons 5 anos... =/
    Quero muito conhecer o Suuuul *-*

    Não tem foto da estrada ladeada por água? *-*

    ResponderExcluir
  4. Também não é muito comum eu fazer viagens de família não, Gabizinha, então imagina meu susto e minha felicidade, né? HAHAHA. XD

    Não tenho foto não, não tava com a máquina em mãos quando passei por lá. :(

    ResponderExcluir