Como comprar roupas e acessórios?

22 fevereiro 2013


Minha mãe nunca foi lá uma grande fã da minha história com Londres. Uma das grandes preocupações dela era o que eu ia vestir durante todo esse tempo em que não poderia fazer gastos excessivos. Sério! A sorte é que não sou a louca que sente que precisa comprar tudo que é roupa que vê pela frente, então esse não é um dos meus problemas. Por outro lado, sei que muitos aí são bombardeados por informações de moda quase todos os dias e sentem grandes dificuldades em controlar os impulsos consumistas nesse setor, então decidi reunir algumas dicas que normalmente me ajudam na hora das compras. Preparados pra lidar com o desconforto do reconhecimento?

Aprenda a encarar os blogs de moda de outro modo
Às vezes acontece da gente querer a blusa, a calça, os sapatos, os acessórios e, sei lá, as almas das blogueiras de moda. E né, não é bem por aí. É sempre bom ter em mente que boa parte do que é mostrado nos blogs foi enviado às donas deles pelas marcas, tornando esses blogs mais uma vitrine do que qualquer outra coisa. O trabalho delas, portanto, é mostrar tudo (ou quase tudo) o que as marcas preparam para o mercado. Já o seu trabalho, caro leitor de blogs de moda, é fazer uma triagem das informações transmitidas por elas e decidir o que é apropriado pra você. Tenho certeza de que você não precisa de um par de sneakers e de uma saia mullet e de um maxi colar neon!

Conheça bem o seu guarda-roupa
O que significa que essa história de abrir as portas dele e receber uma avalanche de roupas em cima de você precisa acabar. Mantenha-o sempre organizado e faça uma “faxina” de seis em seis meses, tirando todas as peças do interior do móvel e mandando embora tudo o que não é mais usado. Certeza de que durante esse processo você vai encontrar aquela blusa que você adorava e que simplesmente foi esquecida; acredite, saber exatamente o que se tem ajuda bastante na hora de novas aquisições, porque aí já dá pra comprar levando em consideração as possíveis combinações.

Não siga toda e qualquer tendência
Caso você constate, durante a limpeza do guarda-roupa, que há uma defasagem de peças básicas, prefira investir seu suado dinheirinho nelas ao invés das que você sabe que vão causar seu horror no ano seguinte. Camisas brancas, blazers, um bom casaco, blusas em cores neutras e calças jeans com certeza vão te fazer passar muito menos vergonha nas fotos que você pretende mostrar pros seus netos do que sneakers, saia mullet e maxi colar neon usados todos juntos. Claro que isso não significa que você deva abolir as tendências definitivamente. A palavra-chave aqui é moderação. Eu, por exemplo, acho linda a combinação de camisa branca com maxi colar! Mas sem neon pra mim, por favor.

Honestidade é tudo
Faça uma lista de tudo o que você pretende comprar antes de partir para a ação. Depois avalie item por item com a seguinte questão em mente: eu realmente preciso disso? Caso a resposta seja negativa, risque o item da lista e vá atrás apenas daqueles para os quais você respondeu afirmativamente. Quando você já estiver dentro do provador, outras questões devem rondar seus pensamentos. A peça ficou como você queria que ela ficasse no seu corpo? Ela pode ser encontrada por um valor mais acessível em outro lugar? E o mais importante, ela não vai ficar encalhada no fundo do seu armário?

Pesquisar, pesquisar, pesquisar!
Tenho pra mim que pesquisar é fundamental. Deve ser coisa de historiadora, haha, mas realmente acredito que é uma dica válida pra tudo quanto é setor da vida. Antes de sair passando o cartão de crédito por aí, saiba tudo o que puder sobre a peça que você quer, desde a qualidade até o preço. Analise, compare e pesquise mais um pouquinho, só pra garantir. Quando a compra for on-line, os cuidados devem ser ainda maiores. Certifique-se de que a loja oferece condições seguras de pagamento (como PayPal ou PagSeguro), veja se há alguma queixa grave no Reclame Aqui e se ela não está vendendo por cento e cinquenta reais um produto que você pode comprar no eBay ou no Aliexpress por, sei lá, dez dólares. Isso é bem comum e muita gente nem faz idéia!

Preste atenção na qualidade do material
Essa dica é meio que um desdobramento da anterior, mas eu precisava enfatizar. Nem sempre qualidade e preço andam juntos, e é por isso que é bom saber exatamente o que se quer do produto que está sendo adquirido. Vou usar uma experiência minha pra ilustrar: comprei uma bolsa made in China no início do ano passado que, mesmo com frete e tudo mais, acabava saindo mais em conta do que as bolsas que encontramos numa Le Postiche da vida. Claro que eu achava que tinha feito um ótimo negócio, até a bolsa começar a descosturar inteira e eu ser obrigada a comprar outra. Em resumo, o barato acabou saindo caro. Então às vezes pode valer mais a pena comprar um produto um pouco mais caro e com maior qualidade do que várias unidades de um produto mais barato e que não cumpre o que promete. No fim você pode acabar gastando a mesma coisa (ou mais!) e nem ao menos obter o resultado que gostaria.

Considere os brechós
Qualquer um que banca o entendido de moda diz pelo menos duas coisas: que moda é arte e que ela faz movimentos cíclicos. Não vou discutir a primeira afirmação aqui, mas a segunda pode ser bem útil pra gente. Ficou sabendo que aquela peça altamente esdrúxula dos anos 80 caiu no gosto da galera outra vez e tem certeza absoluta de que não pode viver sem ela? Antes de empunhar o cartão de crédito e correr para as lojas convencionais, dê uma olhada nos brechós que você conhece. Vai que rola a sorte grande de você encontrar o que quer por um preço legal?

Paciência e disposição contam muito
Seguiu todas as dicas, organizou as idéias, pesquisou e se sente pronta para ir atrás do que você quer? Se possível, tente tirar um dia só pra fazer isso. Durma bem na noite anterior, vista algo confortável quando for sair e leve uma garrafinha de água a tiracolo. O bom humor pode ser um grande aliado nessas horas, já que muitas vezes não conseguimos encontrar o que queremos, enfrentamos lugares lotados ou ficamos reparando em um ou outro detalhe dos nossos corpos que a iluminação dos provadores insiste em evidenciar. Enfim, tente ver o momento da compra como uma atividade divertida, e não como uma etapa penosa que separa você do que você deseja. Os resultados serão infinitamente melhores, você vai ver!

Espero que essas dicas possam ajudar vocês e, é claro, quero saber quem aí tem mais dicas para os nossos caros consumistas de plantão!

16 comentários

  1. Acho que da pra economizar bastante procurando brechós, já que hoje encontra-se coisas incríveis em brechós. Ver o que se tem no guarda-roupas e comprar apenas o necessário, adaptar as coisas que se tem com outras peças. Bom, acho que com as dicas que tu deu, dá pra comprar algumas coisas, aproveitar as que se tem e ser muito feliz com as combinações que dá pra fazer sem gastar muito. Beijão <3

    @keithpappen
    www.detalhesamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso, Keith! Acho que tu resumiu bem. :)

      Excluir
  2. Acho que dá para procurar coisas legais em lojas fast fashion, apesar da qualidade não ser uma das melhores qualidades desses estabelecimentos, infelizmente!
    Gostei da sua dica de conhecer o guarda-roupa porque isso me lembrou que eu preciso fazer uma limpa no meu hahaha e ver o que eu não uso mais de forma alguma! Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Ana! Aí acaba entrando naquilo que eu falei de saber fazer um balanço do preço e da qualidade. Fast fashions são ótimas pra garimpar e, mais ultimamente, pra conseguir essas peças que todo mundo deseja por um preço amigável. :)

      Agora go go go arrumar o guarda-roupa! HUAHUAHUHA.

      :*

      Excluir
  3. Também não sou a louca das roupas - sério, eu sou a guria que já foi de pijama pra escola simplesmente porque esqueceu de trocar de roupa, OU SEJA, não sou ligada nisso - mas é sempre bom termos consciência do que já temos para montar o look e sabermos o que seria bom comprar ou não.
    Faxina no guarda roupa é essencial, assim como uma ótima pesquisa. Afinal, temos mesmo de ser sinceras conosco e não sair por aí comprando tudo o que vemos pela frente apenas por ser legal e da moda quando nem vamos usar a peça.

    Kissu ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHA, acho que nunca cheguei a ir pra escola de pijamas ou coisas do tipo, Mia, mas sou do tipo que quebra a cabeça pensando no que vestir e sempre acabo ficando com o jeans e a camiseta mesmo.

      E eu concordo plenamente contigo! :)

      :*

      Excluir
  4. Dicas super válidas, e me vi em cada uma delas! Acho que é a natureza da mulher querer roupas e muitas roupas. Quaando eu trabalhava fora, vivia comprando roupas novas, e agora que to sem trabalho ta difícil levar a vida. Queria achar brechós legais em SP, eu sei que tem, mas nem sei por onde começo a procurar. Normalmente os brechos que vejo, é aqueles bem pobrezinhos mesmo, com roupas usadas e feias ):

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o real problema é que nós somos bombardeados de todos os lados por informações, sendo que todas elas acabam transmitindo, no fundo, a mesma mensagem: nós PRECISAMOS do que está sendo oferecido. E muita gente realmente acha que precisa, sem refletir muito a respeito de tudo que eu citei no post.

      Não deve ser tão difícil assim achar brechós bacanas em uma cidade tão grande quanto São Paulo! Já experimentou procurar em blogs? ^^

      :*

      Excluir
  5. Amei as dicas, verdade mesmo, o que vale não é aquele acessório que você viu na revista por tantos reais, e sim pesquisar e achar por um preço menor, assim sobra dinheiro para comprar mais coisas e ser feliz. Até porque, comprar mesmo só se for usar, nada de 'ah, porque é bonitinho eu vou levar'. ninguém merece né?

    http://cappuccinoeaconta.blogspot.com.br/
    fique a vontade! l @PriscilaFrr

    ResponderExcluir
  6. Mylla e suas dicas certeiras.
    Tchê, infelizmente já que eu estou bem acima do peso, nem tudo que eu desejo (mesmo que eu tenha dinheiro) eu encontro ... e se eu encontro as vezes é muito, mas muitos mais caro do que o preço que eu pagaria se tivesse alguns quilinhos a menos.

    Mas acho super válida a dica de pesquisar, ter consciência do que tem em casa ... e ter paciência. ^^

    (In)felizmente eu não ligo taanto pra roupas, não entendo nada de moda ... e as vezes eu devo sair de casa esdruxulamente vestida ... mas e daí? :P

    ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, que bom que minhas dicas são úteis. XD

      Eu também não sou lá muito ligada em roupas, mas ando prestando um pouco mais de atenção nesses detalhes. A qualidade do que eu compro melhorou bastante. :)

      :*

      Excluir
  7. Kamylla, na internet quais são os sites que você compra? Porque acho complicado confiar em tudo que é loja da internet hoje em dia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não compro tanta roupa assim pela internet, Carolina, mas as lojas em que já comprei e que aprovo: Melancia Quadrada, Chico Rei, Viablushop e As Baratas. Já comprei algumas coisinhas no eBay também, mas evito pela questão da conversão dos tamanhos. :P

      Excluir
  8. Exatamente isso! Acho que comprar algo sabendo que você já tem outro algo pra combinar é a melhor saída. Evita desperdício de dinheiro...

    Blog muito bom, to gostando muito!

    http://blogdaalicecoelho.blogspot.com.br/

    Beeijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desperdício de dinheiro e de tempo pensando no que vestir! Hahaha.

      Que bom que tá curtindo o blog, guria. ^^

      :*

      Excluir