Minha saga no Lollapalooza 2014

08 abril 2014

Créditos: G1


Acho que posso contar o número de bandas famosas que já assisti ao vivo nos dedos de uma mão só. E não, não é uma questão de grana ou de distância entre a minha cidade e as cidades onde os shows geralmente acontecem, mas sim de entrar em pânico diante da possibilidade de ser esmagada no meio de uma platéia de fãs ensandecidos. Tenho que gostar muito - mas muito mesmo - de uma banda para me aventurar.

Foi o meu amor pelo Muse quem me fez reunir coragem para encarar o primeiro dia do Lollapalooza 2014. Tava chorando de inveja de todo mundo que conseguiu assistir ao show deles no Rock in Rio 2013, então tratei de comprar o ingresso do Lolla assim que as vendas começaram. Foram longos meses de espera e eu simplesmente não conseguia processar o fato de que ia ver mais uma das minhas bandas favoritas em carne e osso.

Embarquei com a Carol rumo à São Paulo na sexta-feira, dia 4. A distância entre Interlagos e o centro da cidade foi determinante para que optássemos por uma excursão de ônibus em vez de avião. Apesar do desconforto e da noite de sono mal dormida, nos enturmamos com o povo do fundão e isso tornou a viagem bem mais agradável. Alguém aí já ouviu falar do Vespas Mandarinas, aliás?

Chegamos em Interlagos por volta das 11h do dia 5, trocamos de roupa e fomos procurar a fila. Ela já estava enorme e tinha um bocado de gente furando na maior cara de pau, o que fez com que levássemos quase uma hora para conseguir entrar no autódromo. Nos preparamos ao máximo para evitar entrar em muitas filas ao longo do dia e Carol se meteu no meio da galera para assistir ao show do Capital Cities.

Enquanto ela estava por lá, descansei um pouco na sombra, comprei alguma coisa para comer e fui explorar as tendas dos patrocinadores. Minha preferida definitivamente foi a da Skol, que estava vendendo vinis e fazendo pôsteres com letras de músicas para quem pegasse senha. Fiz o meu e depois rumei para a tenda da Pepsi, onde consegui um copo gigantesco.

Depois de muita andança, reencontrei a Carol e fomos para o show do Cage the Elephant. Não conhecia a banda e curti, especialmente pelo fato do vocalista ser bem doido. Depois do show deles, compramos água e ficamos esperando pelo show do Imagine Dragons, outra banda muito maneira que eu também não conhecia. Sem dúvidas, o melhor show que eu vi no Lolla foi o deles!

Quando a apresentação dos caras acabou, rumamos em direção ao outro lado de Interlagos para ver o show da Lorde. O problema é que a aglomeração foi tanta que demoramos mais de meia hora para chegar até lá. Foi bem tenso, teve pontos do trajeto em que só era possível se movimentar porque o povo que tava atrás empurrava o pessoal da frente e eu acabei perdendo meu pôster da Skol no meio da confusão.

Sem coragem para nos metermos no meio da platéia da Lorde, zanzamos por ali até escutarmos Royals e fomos embora. Passamos perrengue para conseguir comprar comida e então fomos escolher um canto para esperar pelo show do Muse. Por aí, já havia anoitecido e o ventinho gostoso que tinha amenizado o calor da tarde se tornou realmente frio.

Com alguns minutos de atraso, o Muse abriu o show com New Born. Rolou cover do Nirvana em homenagem ao aniversário de morte de Kurt Cobain, Plug In Baby e algumas das músicas mais passáveis do 2nd Law, como Unsustainable e Liquid State. Olha, só mesmo o fato do Matthew Bellamy estar doente para justificar Liquid State em um setlist, porque essa música é terrível, hahaha.

Morri de amores com Madness, berrei Starlight e Time is Running Out a plenos pulmões e pirei com Uprising e Knights of Cydonia. Senti falta de Supermassive Black Hole - apesar de não gostar muito dela – e de Undisclosed Desires, que cairia super bem para o Matthew doentinho. Depois, fiquei sabendo que ela estava no setlist original, mas foi cortada. Chorei, é claro.

Em linhas gerais, achei que o show ficou devendo um pouco, mas o fato dos caras não terem cancelado foi um grande ato de respeito e consideração pelos fãs, o que me faz querer ver outra apresentação deles no futuro. Não vou me conformar enquanto não puder assistir Matthew Bellamy saudável e em plena forma física se esgoelando por aí como se não houvesse amanhã!

Já era bem tarde quando conseguimos sair do autódromo. Caminhamos um bocado até encontrar nosso ônibus, embarcamos e voltamos para casa. Apesar de todos os perrengues, curti minha primeira experiência em um festival e acho que curtiria ainda mais se ele tivesse reunido mais bandas que eu curto. Pois é, acho que agora eu não tenho mais desculpas para não ir ao Rock in Rio.

8 comentários

  1. Aaah que bom que gostou!! Meu sonho é para o Lolla, principalmente esse ano por causa de Imagine dragons e Lorde ♥
    Fiquei feliz por gter gostado de Imagine. Amo toodas as músicas e olha que nunca fui fã de nada em relação a música. aiai. Próximo quem sabe haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Preciso baixar o CD deles pra conhecer melhor! Hahaha. :)

      Excluir
  2. Ah, que bom que você gostou do Lollapalooza! Eu também estava por lá e foi incrível! Fico feliz que você também tenha gostado o Imagine Dragons! Eles foram eleitos com o melhor show do festival. Por ser fã, eu acho que foi o que eu mais gostei hehehe.
    O que você achou do chef stage? E da aglomeração? Conseguiu pegar grade no show do Muse? :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que cheguei a votar no Imagine Dragons em alguma enquete que perguntava qual foi o melhor show, e olha que eu amo o Muse! Hahaha.

      Não cheguei a dar uma passada Chef Stage e acabei desistindo de tentar pegar grade no Muse depois do aperto que passamos ao sair do show do Imagine Dragons. Foi muito tenso mesmo. :~

      Excluir
  3. Oiii Mylla!
    Poxa, que inveja. Fiquei morrendo de vontade de ir, mas só de pensar no tanto de gente e que eu sou um pouco baixinha demais para ficar no meio do povão sem enxergar nada do show... Acabei desistindo na hora de comprar o ingresso. :/

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, eu também sou baixinha! Tive o maior trabalho pra não ficar atrás de pessoas altonas. XD

      Excluir
  4. Nesse post todo cheio de amor eu só consigo me perguntar: como você não conhecia Imagine Dragons? Eu amo ID! *---* ♥ ♥ ♥

    HAUAHUAHSUAHUAHA

    Acho que ir ao show de uma banda que você é muito fã, apesar de às vezes não ser o show perfeito, é uma sensação pra vida. Para contar para os netos. rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou a pessoa mais desinformada do mundo quando o assunto é música, cara. Ultimamente é difícil eu escutar o que curto, imagina então o que eu não conheço. XD

      Sim, ver o Muse foi uma experiência única, mesmo com todos os problemas do show. Saudades Matt. <3

      Excluir