Intercâmbio na Alemanha: a experiência da Mariana

27 junho 2014


Não, não é alucinação! As entrevistas com intercambistas estão de volta. Vocês sentiram falta delas? Confesso que continuei a correr atrás de pessoas que pudessem contar um pouco de suas experiências mesmo enquanto não atualizava o blog, mas não é a mesma coisa sem a participação de vocês. Então espero, de coração, que vocês gostem.

Nossa entrevistada de hoje é a Mariana Batistetti, que tem 30 anos, mora no interior de São Paulo e trabalha como tradutora freelancer. Ela fala inglês, espanhol, alemão e estuda japonês há alguns anos. Ufa! Hahaha. Mariana gosta de literatura, cinema, música, animes e games. Vocês podem conversar com ela através do Twitter.

Preparados?


Por que a Alemanha?

Quando fiquei sabendo sobre o programa de au pair eu estava na aula de alemão. Minha professora tinha uma ex-aluna que fazia o programa de au pair para pessoas aqui da minha cidade. Fizemos uma reunião na casa de um colega e gostei muito de ouvir as experiências que ela e outra garota tiveram durante o intercâmbio. Não demorou muito para que eu também quisesse participar. Escolhi a Alemanha porque, como eu disse, eu descobri o programa quando estava no curso de alemão, e como já estava no final do curso, decidi ir pra praticar o idioma.


Como foram os preparativos para o intercâmbio?

Foram tranquilos, bem tranquilos. Precisei tirar passaporte, pedir o visto, que não demorou muito, escolher a família e pronto. Comigo demorou uns três meses pra fazer tudo.


Como foi a sua vida de intercambista? As melhores partes e as nem tão agradáveis assim?

Foi muito divertida, mesmo com altos e baixos. Demora um pouco pra acostumar com o clima, o fuso horário, a comida... é sempre bom pesquisar bem antes sobre o país que você quer ir. Eu conhecia a comida alemã só por fotos e livros, nunca tinha experimentado antes, no começo foi estranho, mas depois que acostumei adorei, diferente e muito saborosa. Dentro de uns dois, três meses acostuma numa boa, com o país, os costumes e tudo mais.

Quando fui pra Alemanha fiquei primeiro em uma família com um bebê. Não gostei muito e pude trocar de família três meses depois. Aí fui pra uma família com duas crianças, um menino e uma menina. Adorei, foi muito divertido. Eles eram animados, davam muita risada, foi uma experiência que não esquecerei. Ainda hoje converso com eles e a família deles. Inclusive ganhei de aniversário deles um ingresso para o Ritterturnier (Torneio de Cavaleiros) que acontece em Munique. Foi uma experiência incrível, nunca vou esquecer. Melhor presente de aniversário que ganhei na minha vida. Também viajei muito e conheci muitas pessoas. Não troco essa experiência em um outro país por nada.

As partes nem tão agradáveis é que às vezes cuidar de crianças não é tão fácil. Ainda mais pra quem não está tão acostumado com elas. Tem que ter paciência. Também a saudade de casa e da família é um pouco difícil.Às vezes era complicado de combinar com a família sobre as viagens. Às vezes eles não podem deixar você ir por causa do trabalho, alguém tem que ficar com as crianças, mas tudo se ajeita se conversar certinho e com antecedência.



Como foi lidar com o alemão?

No começo foi difícil. Eles falam muito rápido e não é um idioma tão fácil assim, mesmo estudando. Mas os alemães são pessoas prestativas, gostam de ajudar, eu sempre pedia ajuda quando não entendia ou não sabia falar alguma coisa. Depois foi mais fácil, principalmente com as crianças. Elas te ensinam coisas que em nenhum livro você aprenderia!


Quais são os lugares imperdíveis a serem visitados na Alemanha, na sua opinião?

O castelo de Neuschwanstein, o castelo de Nymphenburg, o vastelo do Chiemsee, Munique, que foi a cidade que fiquei, o torneio de cavaleiros que acontece em Munique todo ano e muitas praças e museus.


O que você tem a dizer para aqueles que sonham em fazer um intercâmbio?

Vão. Não tem coisa melhor na vida do que conhecer outra cultura, outras pessoas de idiomas diferentes, fazer amigos de outros lugares do mundo e se divertir. Pesquisem bastante sobre o país que desejam ir, sobre a cultura, comida, as pessoas, os lugares que querem conhecer, etc. Também escolham a família certa, que encaixe com o seu perfil. Não adianta escolher uma família que você não vai se sentir bem depois. Vale muito a pena! E boa sorte!

6 comentários

  1. Que legal!! Experiência de Au pair deve ser incrível! Peguei o embalo e li várias entrevistas daqui, com certeza intercâmbio é a melhor decisão da vida, que saudade do meu!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se quiser matar as saudades do seu intercâmbio contando como foi a experiência, estamos aí! <3

      Excluir
    2. Ahh, seria muito legal! Como posso fazer?

      Excluir
    3. Me manda um e-mail que eu te passo os detalhes! :)
      mylla_sm@hotmail.com

      Excluir
  2. Entrevistas <3
    Muito timing ser sobre o intercâmbio na Alemanha, bem agora que estou tentando me preparar para ir pra lá ano que vem.
    Como foi com gastos? As coisas lá são muito caras? (sair, comida, etc) Você tinha quanto tempo de aula quando foi? Eu terei dois anos, você acha que dá pra me virar bem? E qual cidade você recomenda ficar?

    ps: sou a phanie :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Phanie linda! Saudades. <3

      Então, esssa entrevista é meio antiga, então não sei se a Mariana vai chegar a ver que ela foi postada. Mas eu tenho outras entrevistas com intercambistas que foram pra Alemanha, então fica de olho que logo vão surgir mais informações por aqui. :D

      :*

      Excluir