O meu lugar preferido em Londres

16 junho 2014


Não tem um dia em que eu não pense em Londres. Faz quase um ano que pisei na cidade pela primeira vez e é como se fosse um grande sonho. As construções antigas, os museus, as vozes do metrô, a rua do meu hostel e até o jantar baratinho do Tesco me dão uma vontade enorme de começar a juntar grana para viver tudo outra vez.

Meu maior objeto de saudades nos últimos tempos tem sido a Torre de Londres. Já contei um pouco da história dela por aqui, mas não custa relembrar: a Torre é um baita complexo que já serviu como fortaleza, residência real e prisão. Hoje em dia, ela é um dos pontos turísticos mais visitados de Londres e é onde as joias da coroa estão guardadas.

A Wild Tower Bridge Appears!



O fantasma da Torre de Londres. Não, pera.


Demos de cara com a Torre de Londres assim que saímos do metrô. Mas antes nos enfiarmos na fila gigantesca para entrar, compramos suquinhos gostosos no Costa que tem ali perto e fomos explorar a região. Levei um susto quando a Tower Bridge apareceu na minha frente, hahaha. Eu sabia que ela ficava perto da Torre, mas não tinha noção de que era tão perto!


Quando nos sentimos psicologicamente preparadas para entrar na fila, fomos lá. Aproveitamos para tirar algumas fotos e observar o movimento. Quando finalmente conseguimos entrar, fomos explorar as torres próximas ao Traitor’s Gate. Como eu disse antes, a Torre de Londres é um complexo, então é um pouco difícil explicar o que tem em cada prédio. Só visitando mesmo pra entender.





Gastamos praticamente a manhã inteira só explorando os arredores do Traitor’s Gate e depois fomos almoçar. Aproveitei para experimentar o fish and chips, o que foi uma decepção total. Ingleses, acho que vocês precisam dar um pulo aqui em Florianópolis e aprender uma ou duas coisas sobre como preparar um bom peixe, viu?

Um amor chamado White Tower.


Que tal a armadura do cavalo do Henrique VIII?


Já de barriga cheia, fomos visitar a White Tower. Este é o prédio mais famoso da Torre de Londres e fica bem no meio do complexo. Lá dentro rolam exposições maravilhosas, com objetos que pertenceram a reis da Inglaterra e coisas do tipo. Apenas imaginem meu estado quando vi as armaduras de Henrique VIII, amigos.

Capela de Saint Peter Ad Vincula.


Depois de umas boas horas dentro da White Tower, seguidos para a Capela de Saint Peter Ad Vincula. É ali que estão enterradas duas das esposas de Henrique VIII, Ana Bolena e Catherine Howard. O problema é que elas foram enterradas no altar da capela e não tinha como a gente chegar perto. Entramos lá duas vezes, mas nada de avistar as inscrições com os nomes delas. Tristeza.



Waterloo Barracks


Esperamos um bom tempo para entrar no Waterloo Barracks, onde as jóias da coroa estão guardadas. Este é o prédio mais concorrido da Torre de Londres, até porque poucas pessoas são admitidas por vez lá dentro e tal. Depois da nossa rápida passagem por ali, fomos até um prédio chamado New Armouries, que tem algumas peças da época da Segunda Guerra Mundial.

Ai, Londres. <3


Mais para o final do dia, conseguimos partir rumo ao segundo destino do nosso roteiro: o Meridiano de Greenwich. Nunca, absolutamente nunca coloquem qualquer outra visita no mesmo dia da Torre de Londres, muito menos o Meridiano! Ele fica incrivelmente longe da Torre e até hoje eu não sei como acabamos juntando as duas coisas.

Quando finalmente conseguimos chegar no observatório onde está o Meridiano, ele já estava fechado e por isso vocês foram poupados de ver mais uma daquelas fotinhos ridículas em que a pessoa põe um pé no oriente e o outro no ocidente. Em compensação, fizemos fotos lindas do pôr-do-sol e da cidade lá longe. Com certeza foi um dos momentos mais emocionantes que vivemos em Londres.

0 comentários

Postar um comentário