Um amor chamado Hampton Court

10 setembro 2014


Se algum dia eu tiver de servir como guia turística para alguém na Inglaterra (oi, namorado!), com certeza vou incluir Hampton Court no roteiro. Sério, gente, que lugar incrível. Acho que o castelo, a Abadia de Westminster e a Torre de Londres competem pelo título de melhor passeio que fiz durante a viagem. Já posso voltar e repetir todos eles?



O castelo foi construído sob as ordens do cardeal Thomas Wolsey, então capelão do Rei Henrique VIII, em 1514. Porém, Wolsey perdeu o favor de Henrique e o palácio passou para as mãos do rei. No fim do século seguinte, o Rei Guilherme III submeteu a Hampton Court a uma grande reforma. O resultado é uma estranha mistura entre os estilos Tudor e barroco, visível até hoje.

Para chegar até lá, tivemos de pegar o trem que parte da estação de Waterloo. A viagem dura meia hora, mais ou menos. O ponto final é a Hampton Court e as placas da plataforma indicam que você está próximo do castelo, então não tem erro. Basta andar um pouco que logo as inconfundíveis torres Tudor aparecem lá longe. Ai, saudades!





Depois de comprar nossos ingressos, fotografamos a fachada e o pátio do castelo até cansar, haha. Então, resolvemos começar a conhecer a parte interna pelas cozinhas de Henrique VIII. Lá, alguns guias explicam como era o funcionamento da cozinha real no século XVI, contam quais eram os pratos preferidos da corte e preparam alguns deles.

Mais adiante, dá para visitar as adegas de Henrique VIII, comprar lembrancinhas ou comer em um pequeno restaurante que conta com pratos e lanches baseados no cardápio preferido do rei. Aproveitei para comprar alguns presentes para o namorado e almoçamos por ali mesmo. Não é exatamente barato, mas a experiência, no nosso caso, compensou.



Quando resolvemos seguir adiante, nosso destino foi o chamado Great Hall. Construído sob as ordens de Henrique VIII, ele demorou cinco anos para ficar pronto e acabou virando o aposento mais importante da Hampton Court, já que era ali que o rei jantava e recebia seus convidados. No fundo do salão, há um vitral que representa a ascendência Tudor.

Outro lugar que me fascinou bastante foi a pequena capela onde Henrique VIII acompanhava serviços religiosos e onde seu único filho legítimo, o futuro Rei Eduardo VI, foi batizado. Como aconteceu em outros templos que visitamos durante a viagem, não pudemos fotografar. O destaque por lá é o teto estrelado e a réplica da coroa que Henrique costumava usar.







Os jardins do castelo são um espetáculo à parte. Eles são bem cuidados, lindos e convidam os visitantes a passar umas boas horas descansando. Se vocês procurarem com cuidado, vão encontrar a quadra de tênis que Henrique VIII usava para se exercitar e o famoso labirinto do castelo. Dali também é possível admirar a parte barroca da construção.

A Hampton Court é relativamente grande e exige um dia inteiro dedicado a ela. Se você tiver interesse pela dinastia Tudor, é uma atração absolutamente imperdível. Se você tiver um bom tempo à disposição em Londres e for fã de história, também. Dos castelos que visitei durante a viagem, esse é o meu favorito, sem dúvidas!

2 comentários

  1. Ai Mds! vendo suas fotos, me deu uma vontade louca de chegar a horar pra mim ir fazer meu Intercâmbio também.♥♥♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Força na peruca que logo ele chega! Hahaha. :D

      Excluir