Meio dia em Paris

03 outubro 2014


Paris rondava meus pensamentos enquanto eu guardava dinheiro para conhecer Londres. Na maior parte do tempo, a proximidade entre França e Inglaterra me deixava bem tentada a dividir meu roteiro em duas partes. Hoje, acredito que devia ter dedicado mais tempo a Paris, sim, mas não metade da minha viagem. Para ser sincera, não gostei tanto assim da cidade.


Não me levem a mal, Paris é lindíssima e interessante. Mas acho que uma série de fatores contribuíram para essa impressão: o fato de eu ter conhecido e me apaixonado por Londres antes, a rispidez de alguns franceses, o calor insuportável que estava fazendo quando visitamos a cidade e nosso roteiro de um dia só. Conseguimos ver um bocado de coisas, mas eu me sentia meio perdida no mundo, sabem?


Desembarcamos na Gare du Nord e a nossa primeira parada foi a Basílica de Sacré-Coeur, que fica em Montmartre. Ela foi inaugurada em 1914 e fica no ponto mais alto da cidade, então um bocado de gente vai até lá para tirar fotos. Mas ela é mais bonita nas fotos do que ao vivo, viu? O que impressiona mesmo por lá são os ambulantes insistentes e o cheiro de xixi, haha.


Ainda em Montmarte, topamos com o Moulin Rouge. Acho que não tem lá muito sentido fazer uma visita se você não tiver a intenção de entrar, porque ele é bem pequeno e sem graça por fora, como vocês podem ver. A coisa mais emocionante que aconteceu nesse ponto do passeio foi a rajada de vento que me pegou de surpresa e levantou meu vestido. Achei adequado.




Pegamos o metrô (que não é tão eficiente e amável quanto o inglês) e fomos conhecer a Catedral de Notre Dame, que começou a ser construída em 1163 (!). Na época da nossa viagem, estava rolando alguma comemoração por ali e uns tapumes bloqueavam a visão da fachada da igreja, mas nós demos um jeito e conseguimos tirar uma ou outra foto.



Por dentro, Notre Dame é simplesmente sensacional. Apesar de pouco iluminada, ele é imponente e dá para perder facilmente algumas horas por ali. Não sabia que tinha uma estátua dedicada a Joana D’Arc dentro da catedral e curti. Acho que todo mundo devia saber mais sobre ela, não é só de Luís XIV, Maria Antonieta e Napoleão que vive a França!


Depois da visita à igreja, saímos em busca do Jardim de Luxemburgo e acabamos topando com a Sorbonne no meio do caminho. Eu não sei muito bem como funciona o sistema de ensino superior francês atualmente, mas a Sorbonne é famosa por seus estudos no campo das ciências humanas. Ou seja, estudar por lá é meio que um sonho.



Sem dúvidas, meu lugar preferido em Paris é o Jardim de Luxemburgo. Já imaginava que seria assim antes de conhecer a cidade e ele não me decepcionou: é lindo, agradável e muito fotogênico. Praticamente convida a gente a fazer um piquenique. Pena que eu não tinha muito tempo por lá, teria feito esse sacrifício numa boa.





Nossa próxima parada é a mais esperada pela maioria dos turistas que vão à França: a Torre Eiffel. Ai, gente, é uma coisa de outro mundo ver com os próprios olhos monumentos, construções e obras que a gente só estava acostumado a ver em livros e na tela do computador. Faz todo tipo de esforço valer a pena e é uma sensação indescritível. Fiquei simplesmente boba contemplando a torre.



Depois de um bom tempo tirando fotos da torre de absolutamente todos os ângulos, seguimos com o passeio. Quando eu menos esperava, o Arco do Triunfo apareceu na nossa frente. Ele é bem menor do que eu imaginava, mas é bonito do mesmo jeito. Tiramos algumas fotos por ali e logo chegamos a um dos pontos mais importantes de Paris: a Avenida Champs-Élysées.

Gastamos mais um bom tempo fuçando as vitrines das lojas e chorando pelas coisas maravilhosas que não podíamos comprar. Em compensação, visitamos a Sephora e saímos de lá com algumas coisinhas, inclusive um perfume da Chanel que já mostrei aqui no blog. Também fizemos uma parada na Starbucks e tomamos um daqueles frapuccinos incríveis. Saudades, Starbucks.






Quando a tarde já chegava ao fim, passamos correndo pela Place de La Concorde, pelo Jardim das Tulherias e finalmente chegamos ao Museu do Louvre. Ele já estava fechado e eu provavelmente não teria ousado entrar lá se estivesse aberto, mas ainda quero gastar um dia inteiro dentro dele. Espero que não demore muito!

Como vocês podem ver, vi um bocado de coisas em um período muito curto de tempo, o que significa que eu estava morta na volta para Londres. Recomendo que vocês dividam esse roteiro em dois ou três dias, porque ele é bem eficiente. Paris não é uma cidade tão grande assim e muitos dos principais pontos turísticos podem ser visitados a pé, sem problemas.

Vocês já conhecem Paris? O que acham da cidade? Alguma dica para eu superar meu trauma em relação a ela? Comentem!

2 comentários

  1. Meu "caso" com Paris é bem engraçado. Nunca fui daquelas pessoas apaixonadas pela Cidade Luz e nem a incluiria nos meu Top 10 dos destinos a conhecer. Na verdade, tinha até uma certa aversão ao francês, porque sofria bullying das minhas amigas portuguesas quando elas tentavam me ensinar o idioma. rs

    Mas depois que comecei a trabalhar com AD de linha francesa, comecei a me interessar muito pela capital francesa. Tanto que agora ela já faz parte do meu Top 5 de destinos e é minha primeira opção para uma possível bolsa-sanduíche na pós-graduação.

    Ficaram lindas as suas fotos, My. Quando tiver a oportunidade, quero passar mais que um dia em Paris. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paris também demorou a me conquistar, Ju! Só fui mesmo me render à cidade quando tava mais ou menos na metade da faculdade de História. Aí sim que ela entrou no meu top 5.

      Acho que também preciso passar mais uns dias por lá. :)

      Excluir