Resenha: How to Get Away With Murder

20 fevereiro 2015


E aí, como foi o carnaval de vocês? Como devem ter percebido, demos uma sumida básica para aproveitar um pouco. Entre idas à praia e saídas para jantar, comecei uma maratona de How to Get Away With Murder e estou altamente viciada! A série estreou no ano passado nos Estados Unidos e é uma criação de Peter Nowalk com produção de Shonda Rhimes.

Temos como protagonista Annalise Keating, professora de Direito Penal na Universidade de Middleton. Ela também trabalha como advogada e costuma selecionar os melhores alunos de suas turmas para acompanhar os casos que assume. Eventualmente, um desses grupos de estudantes se vê envolvido por uma trama de assassinato.

Ao longo dos episódios, os lados pessoal e profissional de Annalise e de seus alunos acabam se misturando, o que deixa o caso ainda mais complexo. Como em toda boa série, os relacionamentos entre os personagens são extremamente complicados e alguns são altamente questionáveis. Não vou entrar em detalhes para não dar spoilers, mas vocês devem imaginar como é, né?

Para mim, o grande trunfo da série é a protagonista. Interpretada pela incrível Viola Davis, Annalise Keating é simplesmente fascinante. Ela tem força, inteligência e é completamente dedicada a atingir os próprios objetivos, doa a quem doer. Não há marido, amante, colega de trabalho ou aluno que consiga parar a mulher, hahaha. Quero saber mais sobre o passado dela!

Outros personagens bacanas são Wes Gibbins (demorei séculos até perceber que ele é interpretado pelo ator que fez o Dean Thomas em Harry Potter!) e Connor Walsh, alunos de Annalise. Também curto Rebecca Sutter, cliente da professora que é interpretada por Katie Findaly, atriz que fazia The Carrie Diaires. Baita sorte dela que a série foi cancelada, viu?

E aí, vocês já assistem a How to Get Away With Muder? Gostam da série? Vou deixar um trailer aqui para incentivar vocês:

4 comentários

  1. Eu tb comecei a assistir no carnaval, uma amiga falava da série a tempos e eu não dei atenção.
    Olha engoli os 12 eps em 2 dias e já quero mais. Gente, essa mulher não tem limites mas o que achei mais interessante é que ela tem um lado frágil. Estou apaixonada, super shipo o Frank e a Laurel. Connor é maravilhoso, já o Wes e a menina que faz par com ele eu achei os mais apagados. Quero muito ver qual rumo a série vai tomar. Não sei não mas acho que tem alguma coisa "entre" a Anna e o Wes não sei pq, nem acho que seja sexual nem nada mas acho que tem alguma coisa.
    Sei que agora recomendo pra todo mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No meu caso é o contrário, eu acho a Laurel super apagada e não consigo me interessar por nada que ela faça. :(

      Acho que essa ligação especial entre a Annalise e o Wes deve justamente ter alguma coisa a ver com o passado dela. Talvez ela se identifique com ele ou algo do tipo. De qualquer forma, é uma relação bem interessante, eu gosto. :)

      Excluir
  2. Segunda blogueira que eu vejo falar super bem dessa série. Como sou imensamente fã de Grey's Anatomy, gosto bastante das produções da Shonda. Infelizmente GA está quilômetros luz dos seus tempos de glória, imagino que as outras produções de Shonda estão sendo vangloriadas com o seu talento.

    Gostei da sua resenha, vou reservar um espaço na minha agenda para How to Get Away With Murder. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a Shonda não escreveu para a série até agora e eu espero que ela não faça isso! HEUHEUEHEHUE.

      Assista, é amor certo. <3

      Excluir