Um dia em Laguna

23 julho 2015

No último fim de semana, botei na cabeça que queria visitar Laguna e convenci o namorado a me levar lá. Ainda que a cidade não fique muito longe de Florianópolis, considero que foi uma viagem e morro de orgulho só de pensar que não precisei planejar tudo nos mínimos detalhes para fazer acontecer. Às vezes, a gente só precisa mesmo arranjar uma boa companhia e ir.


Apesar de ser uma cidade relativamente pequena, Laguna tem dois grandes motivos para ser famosa: por ter sido cortada pela linha imaginária do Tratado de Tordesilhas e também por ser a terra natal de Anita Garibaldi, personagem importante tanto para a Guerra dos Farrapos quanto para o processo de unificação da Itália. Tá bom, não tá?






Quando chegamos na cidade, fomos direto para o Centro Histórico. É ali que fica a casa onde Anita Garibaldi se vestiu para o seu primeiro casamento e que hoje funciona como um museu inteiramente dedicado a ela. Sinceramente, ficamos um pouco desapontados com o que vimos por lá; a exposição é bem sem graça e a construção não está nos seus melhores dias.


Do outro lado da rua fica a Igreja Matriz Santo Antônio dos Anjos, que foi construída no século XVIII e teve seus altares esculpidos em estilo barroco. Infelizmente ela não estava aberta quando passamos por lá, então só conseguimos tirar fotos da fachada. Mas dá para notar que ela é bonita e interessante, não dá?








Depois do almoço, atravessamos o Canal da Barra de balsa (sim!) e fomos em direção ao Farol de Santa Marta. Chegar até lá é uma pequena aventura, mas o visual compensa cada solavanco da parte do percurso que ainda não foi pavimentada. Se alguém aí tem vontade de desaparecer no mundo, essa é uma ótima opção, viu? Hahaha.

O farol foi construído no fim do século XIX e hoje em dia é mantido pela Marinha do Brasil. Como não é permitido entrar lá, a galera gosta de zanzar ao redor dele e escalar em um amontoado de pedras que tem ali perto para ver o mar. Não sei se também acontece com vocês, mas contemplar a imensidão azul da água faz eu me sentir parte de algo maior e isso me deixa muito feliz!


De volta ao centro de Laguna, aproveitamos para tirar fotos do marco do Tratado de Tordesilhas, que é bem sem graça, como vocês podem ver pela foto. Ele fica na frente da entrada de um hospital e consegue passar facilmente por um monumento de pouca importância. Eu esperava por algo muito mais grandioso, pelo menos.

Laguna ainda tem outros pontos turísticos, como a Casa da Rua do Rincão, a Fonte de Carioca, a Pedra do Frade e o Museu Anita Garibaldi. Para ver tudo isso, acho que precisaríamos de mais um ou dois dias na cidade. Sem dúvidas, é uma ideia para as férias de verão. Quem sabe pego uns dias ensolarados por lá e mostro absolutamente tudo para vocês?

Já tinham ouvido falar de Laguna? O que acharam da cidade? Comentem!

2 comentários

  1. Acho que esses pontos sem graça deveriam ser mais valorizados, até porque né, história do Brasil!!... Mas eu gostei sim da cidade, e visitaria ela! Quero ter oportunidade pra viajar por vários lugares desse país e, também sair assim como você, sem planejar os mínimos detalhes. Acho que é até mais legal, hahaha xD
    Kissus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, sim! Sou formada em História, então saí de lá com umas mil ideias para tornar o lugar mais interessante. Mas o que me incomodou de verdade foi a situação da construção, que podia estar em um estado de conservação bem melhor. :(

      Preciso fazer uma lista de lugares do Brasil que quero conhecer, eita país grande e interessante, viu? <3

      Beijos!

      Excluir